Afinal, para que serve o pré-save e por que é tão importante?




Quem nunca viu algum artista sempre pedir o famoso “pré-save” em suas mídias sociais? Ou até mesmo um artista pequeno que sempre pede aquela ajuda para seu público pedindo para que faça o pré-save de alguma música/álbum/EP que irá lançar oficialmente? O pré-save, é uma estratégia para aumentar expectativas, visualizar de certa forma engajamento e impulsionar seu lançamento.

A Wonderland in Rave convidou Felipe Freitas, sócio da produtora e profissional de tráfego pago da Elevation Records, para contar em detalhes a importância do pré-save para uma label e o artista, entre outras informações.

O que é o pré-save?

O pré-save funciona para garantir que a música do artista antes de seu lançamento tenha visibilidade “garantida” assim quando lançada. Quando você faz o pré-save de algum single ou álbum, quando chegar a data oficial de lançamento, elas estarão automaticamente na sua biblioteca ou playlist. Essa ação é conveniente tanto para os artistas quanto para os usuários, pois lembra os ouvintes a checar música e lançamentos, que podem ser facilmente esquecidos. 

O pré-save não é uma ferramenta oficial do Spotify, não é algo que eles disponibilizam. Existe uma biblioteca de API’s do próprio Spotify onde você consegue desenvolver uma própria ferramenta para metrificar pré-saves. Geralmente, é sempre uma plataforma de terceiros que usam esse API para fazer um movimento dentro do Spotify. O pré-save nada mais é que um dos indicadores para curadoria ou pro algoritmo entender que aquela música está fazendo “um barulho” antes de ser lançada.” explica Felipe.

Ou seja, ao realizar o pré-save por alguma plataforma, a música pode ser entendida como uma track importante e passa a ser observada por editores e considerada pelos algoritmos dos serviços de streaming. Aumentando o alcance delas em playlists e indicações do próprio Spotify.

“Ajuda no posicionamento que a música vai ter no dia do lançamento dela. Quem são os curadores das playlist que fazem manualmente seu trabalho, eles usam isso como um indicativo de entender se aquela música tem o potencial de estar numa playlist editoral.” ressalta Felipe Freitas.

Para funcionar o conceito do pré-save tudo depende de como você começa a sua forma de divulgação de seu single não lançado. O que importa é como vai funcionar a sua campanha. Ou seja, o ideal é que você comece compartilhando o link com seus amigos, sua fanbase e nas suas redes sociais pelo menos uma semana antes do lançamento. E se cogitar em fazer uma campanha mais longa, 10 dias seria ideal para compartilhar com seu público, pois mais que isso poderia se tornar um assunto repetitivo nas redes sociais.

Dependendo da ferramenta do seu pré-save, você consegue configurar para que a pessoa que faça, te siga nas plataformas de stream ou também suas playlists. Mas quando um artista faz um pré-save, ele não visa engajamento na maioria das vezes. Temos como exemplo: Timmy Trumpet, um artista renomado mundialmente, que sempre traz sorteios surpreendentes quando feito o pré-save. Como por exemplo: ganhar mil dólares, ganhar uma viagem, álbum autografado ou prêmios do merchandising do DJ. Para um artista que possui condições financeiras de investimento, isso é uma boa estratégia para engajamento, mas não precisa ser necessariamente assim para a realização da campanha de um pré-save. Seja criativo, tenha uma boa estratégia e você colherá frutos da sua campanha.

Indo mais a fundo… Qual a real importância do processo para uma label e o artista? Como que isso ajuda de fato? Felipe explica:

“Ela não tem uma importância individual para a label, e uma importância individual pro artista, ela tem importância pros dois lados da mesma forma. Claro que pra label é uma forma de fortalecer o próprio nome, então se a label faz campanhas constantes de pré-save a label acaba meio que virando uma referência dentro do algoritmo, ou do próprio curador que tem feito as curadorias das playlists. E pro artista a mesma coisa. Mas o artista visa poder não contar com a sorte e sim do trabalho dele bem feito para poder ter um lugar em playlist editorial do Spotify”.

Principais plataformas usadas pelos DJs e produtores de música eletrônica:

  • presave.io
  • feature.fm
  • gleam.io
  • soundplate
  • show.co
  • toneden.io

O sócio da Elevation também explica sobre o ‘skip hate‘, que basicamente mostra quantos escutam tal faixa e quantos escutam uma parte dela e logo pula para a próxima. Em uma playlist se o ‘skip hate‘ for muito alto automaticamente já cairá a indicação da música no algoritmo mostrando que a música não pertence ali. O algoritmo também faz uma varredura de quantas pessoas estão salvando a música, selecionando-a para suas playlists e taxa de compartilhamento nas redes, então basicamente o pré-save em si não dá O RESULTADO. É necessário um conjuntos de ações tais como: trabalho nas mídias sociais e assessoria de imprensa, pois na semana de lançamento, o algoritmo também pesquisa o Google, vendo a relevância do artista e da track.

Felipe também dá dicas de coisas que são essencias ser pontuadas para um bom pré-save:

Não precisa ser a principal coisa do lançamento, precisa estar em volta de um gerenciamento de rede sociais, acessoria de imprensa bem elaborada, usar de mídia paga para pulverizar o lançamento, trabalhar antecipação, atualizar sempre as plataformas, ter uma boa equipe, mas se o artista for sozinho ele precisa ser autêntico nas campanhas… Há vários fatores antes de fazer o pré-save que influenciam no lançamento e resultado.

Também é importante ressaltar o papel do fã nesse quesito, em ajudar e compartilhar o artista com a divulgação da track. Pois além de ajudar o artista em questão de divulgação e tudo mais, o artista também tem acesso a informações de ativos na fanbase de fato, como nomes, dados demográficos e outros (mas isso depende de qual plataforma de pré-save você está usando). E ajuda o artista a entender melhor seu público fiel.

Agradecimentos: Scorsi, Felipe Freitas, Renan Tavares e Elevation Records.

Fã de música eletrônica, sempre em busca de aprender mais. Choro em shows.