Alok e Garena destinam U$1 milhão para projetos educacionais na Índia

Instituto Alok e Garena, líder global de jogos online, anunciam a doação de U$1 milhão à projetos de apoio educacional e desenvolvimento humano de crianças e jovens indianos. O valor é resultado dos lucros obtidos pela venda do personagem Alok dentro do jogo Free Fire.

O recurso financiará ações de três organizações filantrópicas que objetivam a educação de crianças carentes, proteção contra o trabalho infantil, incentivo a jovens talentos com perfil inovador e promoção da educação ambiental, além de melhorias infraestruturais em diferentes regiões da Índia nos próximos três anos. Conheça:

*Kailash Satyarthi Children Foundation, dirigida pelo Nobel da Paz Kailash Satyarthi: apoiar, proteger e capacitar 3,5 mil crianças de vinte em duas frentes: garantia de acesso à educação (em Madhya Pradesh) e suporte técnico aos governos de Madhya Pradesh e Gujarat no fortalecimento de mecanismos mantenedores contra o trabalho infantil, tornando-os “estados amigos das crianças”.

*Lokaa Foundation, criada pela jovem Lokaa Krishna: construção de vinte e quatro casas com banheiros na vila de Mokkalechenu, um centro de aprendizado com conectividade de internet em alta velocidade, cabeamento elétrico subterrâneo, drenos de águas pluviais e esgoto planejado, pavimentação de estrada que liga as ruas da vila, desenvolvimento de horta orgânica para cada uma das 68 famílias moradoras locais, promoção da educação ecológica e holística.

*Ashoka Chandemakers, financiamento de projetos desenvolvidos por cinco jovens inovadores que irão buscar soluções para os desafios no país de forma efetiva, inovadora e sistêmica, à saber: proteção e inclusão social, educacional, empreendedorismo, geração de renda, cadeia alimentar e gastronomia social.

“A Índia tem um lugar especial em meu coração e na minha carreira. Quero expressar minha gratidão retribuindo à comunidade. A missão do Instituto Alok é promover mudanças significativas e melhorar a vida das pessoas impactadas pelos projetos que apoiamos. Cada uma das organizações com as quais estamos trabalhando incorpora esse etos, concentrando-se em programas que entregam resultados tangíveis”, disse Alok. “Minha vida, meu trabalho e a presença do Instituto são globais, mas meu foco como filantropo é local e baseado na entrega de resultados concretos”.

O Brasil e a África são outras localidades que recebem aporte do Instituto Alok.

Meu nome é Renan Galati, tenho 23 anos e moro no interior de São Paulo na cidade de Ribeirão Preto, atualmente curso Jornalismo e sou um grande amante de musica eletrônica.