18 de setembro de 2019

Conheça Gran Fran, DJ e produtor musical de talento e personalidade ímpar

Gran Fran é Francisco Borelli, produtor musical, instrumentista e DJ de São Paulo. Com apenas 27 anos, ele esbanja carisma e vem conquistando cada vez mais admiradores do seu trabalho pelo país. Batemos um papo com ele onde conversamos sobre sua história, carreira e projetos, você confere tudo a seguir.

WiR: Como descreve seu trabalho para alguém que nunca ouviu Gran Fran?

Gran Fran: Muito mainstream para ser underground, muito underground pra ser mainstream. Ainda assim, saboroso à vera.

WiR: Como começou sua carreira ?

Gran Fran: Aos 13 anos quando um amigo me mostrou “Paranoid” do Black Sabbath na guitarra. Desde esse momento eu soube que era isso que eu iria querer fazer o resto da minha vida, e eu não parei até agora.

WiR: Quais são seus grandes pontos como artista ?

Gran Fran: Acho que o fato de eu realmente fazer o que eu faço por amor, por incapacidade de fazer qualquer outra coisa e não só por dinheiro ou fama. Eu posso não ter o maior público do Brasil, mas quem gosta do meu trabalho curte muito e enxerga verdade no que eu faço. Acho que é esse o papel de um artista, mexer de alguma forma, negativa ou positivamente com as pessoas.

WiR: O quê te inspira a fazer música ?

Gran Fran: Normalmente outras músicas que não tem nada a ver com música eletrônica, algumas de eletrônico, timbres, acordes ou coisas que eu estou sentindo no momento e que só poderiam ser expressadas através da música.

WiR: Qual foi o momento mais emocionante que você viveu quando decidiu seguir esse ramo ?

Gran Fran: Difícil. Eu vivo vários momentos mais emocionantes da carreira em cada conquista nova. Mas acho que um momento que nunca vou esquecer é quando fui tocar em uma festa no Fabrique com um line recheado de feras e quando eu entrei no palco a pista começou a gritar “Gran Fran, Gran Fran, Gran Fran”, e ai eu pensei “eita c**ão, até pouco tempo atrás eu tava trancado no meu quarto fazendo música sem muita pretensão e agora um monte de gente ta aqui pra ver meu show”.

WiR: Vimos que suas produções são frutos de várias vertentes da EDM entre eles, Deep House, Trap, Electro e Dubstep. Você tem interesse em expandir pra outras vertentes?

Gran Fran: Com certeza ! Eu estou preparando algumas coisas diferentes de tudo que eu lancei, incluindo um EP mais voltado pro pop, algumas parcerias com outros artistas saborosos da cena e algumas experimentações. Ficar “preso” a um gênero musical é uma ideia que eu acho sufocante e enfadonha, além do fato de eu gostar de transitar entre diversos gêneros em meus sets e eu faço questão de ter pelo menos uma música minha em cada um desses gêneros.

WiR: Recentemente você lançou mais uma track, “I Lost My Innocence” como foi trabalhar nela ?

Gran Fran: Ela inicialmente era pra ser o meu remix da track que lancei recentemente com o DANNE, Faíska e Milkee pela Sony Music Brasil, a “Ela Vai”. Mandei um áudio no whatsapp pro menino da cuíca e ele falou que não tava combinando com o vocal, ai eu decidi transformar ela em original porque gostei do drop e dei esse nome pra track em homenagem ao dia que eu descobri que os palhaços de festas infantis são seres humanos com sentimentos e provavelmente já choraram silenciosamente debaixo do chuveiro após uma decepção amorosa.

WiR: De todos os seus remixes, os de funk realmente tomam uma repercussão gigantesca, de onde surge a inspiração e qual o critério para trabalhar em um ?

Gran Fran: Eu comecei a fazer porque eu toco muito na Rua Augusta em São Paulo, e lá o povo tem uma mania de colocar o celular na cara do DJ com pedidos musicais, que na sua grande maioria são músicas de funk e pop. Então eu comecei a fazer alguns remixes de funk para poder tocar e satisfazer a todos e acabei lançando os que eu mais gostei. Hoje meu critério para trabalhar em um é a melodia do vocal, normalmente as músicas de funk tem um arranjo mais simples, essa é a graça do gênero, então eu gosto de pegar uma música com uma melodia de vocal legal para que eu possa rechear ela com harmonia, ambiências e minhas loucuras.

WiR: Existe mais alguma track pronta para ser lançada ?

Gran Fran: Existem várias na real, mas a próxima a ser lançada vai ser mais um prog house estilo KSHMR do Brasil pela Quartzo Records agora no final de junho numa compilação deles. Eu fiz essa track faz mais de um ano, postei um preview na minha página do Facebook e geral curtiu, acho que vai ser um release de cremosidade ímpar.

WiR: Quais os seus planos para 2017 ?

Gran Fran: Terminar o ano com 100 mil reais na minha conta, mas acho que não vou conseguir (não ta fácil pra ninguém), porém pretendo continuar fazendo meus shows no ritmo frenético que eles estão rolando, fazer parceria com alguns cantores e cantoras pop e se rolar algum suporte do FTampa ou do KSHMR em alguma track minha também seria fera.

WiR: Quais os próximos projetos e lançamentos?

Gran Fran: Tenho algumas collabs com artistas da cena, o EP mais voltado pro pop que mencionei acima e fora meu projeto tenho produzido as músicas novas da Kath Bellsavvy, uma baita cantorazona da p***a que vai dar muito o que falar ainda, guardem esse nome.

WiR: Quais artistas nacionais e internacionais chamam a sua atenção ?

Gran Fran: Se eu falar os nacionais vai parecer que to rasgando seda pros meus amigos, mas a real é que meus amigos realmente tem feito músicas que eu admiro muito, então não vou citar nenhum nacional pra ninguém ficar pistola comigo. Agora dos gringos, como é bem difundido por aí, eu sou o maior fã vivo do KSHMR (acho que da pra notar nas minhas produções). Esse cara me inspira demais, tanto como produtor, professor e também como a pessoa humilde e desapegada do ego que ele parece ser.

WiR: Qual a sua visão do cenário Brasileiro atual ?

Gran Fran: Sou péssimo em análises desse tipo, mas o que me parece é que só da lowzeira top mesmo nos grandes clubes e festivais nacionais. Eu tenho muito contato e amizade com DJs, produtores e fãs da cena da bass music e minha esperança é que essa cena prospere também e que haja mais espaço em grandes festivais e playlists pessoais do spotify do povo para música pesada. Obviamente, sem querer desmerecer os produtores de low bpm, mas como eu disse acima, monogamia musical me da ânsia.

WiR: Uma notícia em primeira mão que gostaria de deixar para fomentar a galera ?

Gran Fran: EU VOU SER PAI!! Mentira. Sabem a Pabllo Vittar? Então, um passarinho me contou que talvez saia um remix oficial do Gran Fran pra uma das faixas dela. Mas não conta pra ninguém.

WiR: Como é para você o processo criativo na produção de uma música?

Gran Fran: Cada música é uma aventura nova pra ser sincero. Eu sou uma pessoa desorganizada e pouco metódica em tudo que faço, e com música não seria diferente. Tem música que eu começo pelo drop, tem música que eu começo pela harmonia, tem música que eu começo pelo vocal…etc cada música pede um processo diferente.

Baixe sua nova track “I Lost My Innocence” no link abaixo.

Sobre Redação WiR