Conheça o Hi-Tech: entrevistamos Nable para entender mais sobre o estilo

A música eletrônica possui várias vertentes que nos deixam curiosos e nos levam a um conhecimento de culturas e gerações diferentes. Estilos como o house, o trance, o techno levam a música para um patamar que a maioria deve conhecer, até mesmo sem saber o que está ouvindo. Mas, para muitos, o estilo comercial não é o suficiente e acabam migrando para vertentes que exploram ainda mais de um único estilo.

Desta vez, vamos adentrar no mundo psicodélico do Psy trance. Neste mundo em que a imaginação é levada para diversas vertentes que você talvez não saiba. Para entender melhor o mundo do Hi-Tech, um dos subgêneros do Psy, chamamos o DJ e produtor Nable, que nos contará a sua relação com esse estilo.

“Eu sempre tive muita influência na música eletrônica através dos meus tios, meus pais, que ouviam Dance Music quando eu era mais novo. Então eu sempre tive aquela influência presente na vida, e comecei a me interessar pela questão de ser DJ desde criança. Tem até um episódio que eu estava em uma festinha e tinha aqueles rádios antigos que você apertava alguns botões e saíam alguns efeitos enquanto a música tocava. Eu tinha, sei lá, 3 CDs e ficava virando música e fazendo efeitos. Aí o pessoal brincava que eu era o DJ da festa!”, conta Claudio sobre o início de suas influências na música eletrônica.

Entrando no mundo musical, Claudio se aventurava em softwares de mixagem e estudava os estilos musicais em diversos fóruns no orkut e na internet. Mas surgiu uma oportunidade de frequentar uma festa com os amigos: “Um belo dia estávamos jogando e meu amigo me deu a ideia de ir em uma rave, eu neguei a ideia falando que era música de maluco que eu não ia curtir. Naquele tempo eu tinha uma visão mais comercial da música eletrônica e tinha um certo preconceito, mas fomos para a rave. Cheguei lá e gostei bastante do que estava tocando e enquanto isso eu conversava com as pessoas que me contaram que o que tava tocando era tal vertente, e no outro horário era outra vertente. Daí fui entendendo e me aventurando e pensei que eu poderia tocar isso um dia”.

Nable conta que ao frequentar festas e tocando em festas menores, foi surgindo oportunidade de tocar em festas de maior porte e começou a tocar o Hi-Tech Psy trance, um estilo que ao mesmo que possa soar algo introspectivo, é uma vertente que abre grande margem para produção, utilizando inúmeras referências.

“Não existe ao certo uma regra para o Hi-Tech, ele pode ser introspectivo ou explosivo, alegre ou dançante… Existem várias vertentes dentro do próprio Hi-Tech, variando de 150bpm pra mais de 200bpm” – conta o DJ e produtor Nable.

Além de ser uma vertente que migra entre os estilos mais animados e os mais calmos, o Hi-Tech explora elementos da natureza que trazem ao ouvinte, um toque mais próximo da realidade, trazendo o frescor e a naturalidade sem deixar o lado psicodélico.

Outra curiosidade é que o Hi-Tech expande uma liberdade sem limites para produção, podendo adicionar desde música clássica até memes que caem nas graças da galera. “Estou produzindo uma faixa para lançar em breve em que misturo forró com o hi-tech”, comenta Nable.

Nable ficou famoso por conta da faixa “Ainda Atendemos Loucos”, a faixa ficou bastante famosa e trouxe a liberdade para que o artista pudesse levar um telefone aos palcos, aproximando a relação do fã com o DJ. Ouça abaixo:

“Eu gosto muito de produzir as minhas músicas assim, trazendo referências que aproximem o público comigo. No meio do set, eu gosto de dar aquela quebrada colocando músicas calmas que fazem a galera respirar para que até o drop elas fiquem eufóricas e curtam o set. Eu gosto de fazer uma bagunça com a galera. A faixa ‘Ainda Atendemos Loucos’ é um meme bastante recorrente sobre a ligação para um instituto de saúde mental que a moça fala qual a opção a clicar e isso foi ficando famoso no meu set. Eu vi uma senhora usando telefone e tive a ideia de usar em meus sets e isso foi se popularizando com a galera” – conta Nable sobre a repercussão com a música “Ainda Atendemos Loucos”.

Apesar de ser uma vertente bastante particular no mundo Psy, o Hi-Tech tem ganhado espaço em bastantes festas no Brasil. Nable é apenas um de vários artistas que tocam o estilo pelas pistas. Ficou curioso para ouvir mais referências? O estilo é tocado por DJs como Marambá, Kayros, Astrologic e Henrique Camacho. Ouça abaixo algumas faixas e entenda melhor o Hi-Tech Psy trance.

 

Editor-Chefe deste portal, sempre ouvindo algo diferente do comum...