21 de novembro de 2017

Conhecido por sua mistura entre trap e deep house, Backlit fala sobre metas, carreira e muito mais O projeto Backlit é o sexto nome da série Mustache Crew

Criado por Kaique Zambello, o projeto chamado Backlit surgiu devido ao amor pelo Deep House. O projeto vem crescendo cada vez mais e conquistando seu público por onde passa, levando personalidade, simpatia e amor para a pista. A cada apresentação ele surpreende o público com novas sonoridades, dinamismo, criatividade e competência para manter a pista sempre em ascensão.

Em meio a tanta correria, ele encontrou um tempo para conversar conosco, e você confere aqui:

Obrigada por ter aceito o nosso convite e por fazer parte da nossa série de entrevistas da Mustache Crew, Kaique. Vamos lá, quando surgiu o amor pela música eletrônica? Você sempre esteve interado nesse meio, ou foi algo que você adquiriu com o passar do tempo?

Backlit: Bom, eu nunca fui fascinado por nenhum estilo musical, ouvia de tudo um pouco, mas sempre gostei e me interessei por música eletrônica mesmo não conhecendo direito. Em 2014 fui na minha primeira festa somente eletrônica e senti uma vibe diferente, como se todos fossem amigos e todos prestando realmente atenção no som, e depois disso comecei a procurar saber mais sobre a cena eletrônica e fui entendendo as coisas como elas realmente são, e isso me chamou muita atenção, e foi ai que eu me apaixonei pela estilo.

Qual a origem do nome “Backlit”?

Backlit: O nome Backlit surgiu do nada, em uma roda de amigos tentando me ajudar pensar em algo, quando um amigo meu citou o nome e eu achei bem diferente e marcante. Aí ficou… Backlit!

Você tem algum DJ ou música, independente do estilo ou nacionalidade, que te inspire ou te influencie?

Backlit: O Gabriel Boni, Chemical Surf, Gabe, Dashdot, são os que mais me chamam atenção. Uns pela produção e outros pela vibe transmitida no show.

Vimos que essa semana você lançou sua nova música de trabalho “Boom Boom Back” pelo canal Suitor, da gravadora e incubadora de ideias Mix Feed, que já teve mais de 80 mil views no Soudclound e um grande repost do duo russo, Volac. Como foi o processo de criação dessa track? Você esperava esse grande impacto da galera e esse repost do duo?

Backlit: Bom, a track surgiu do nada, quando estava na casa do Kush 3D e queríamos fazer uma collab, só que não tínhamos nenhuma idéia, nenhum projeto e nem nada. Começamos a montar a track no estilo que queríamos, usando um bom trap e tal, e teve uma duração de 3 meses para terminarmos do jeito que queríamos. E meu, eu não esperava tudo isso pra falar a verdade, eu sabia que a track estava muito boa, mas não acreditava em tudo isso incluindo o duo Volac, que pra mim são referências no estilo da track.

Como é pra você, ser um dos membros do grande selo da Mustache Crew?

Backlit: Para mim é um enorme prazer e realização, pois eu ouvia e curtia o Malik antes mesmo de conhecer eles pessoalmente e virar amigos. Hoje poder ser um integrante da Mustache Crew é uma sensação incrível… De realização!

Atualmente, qual é seu maior sonho e objetivo como DJ?

Backlit: Bom, meu maior sonho é ser reconhecido pelo meu som e ter o meu espaço na cena eletrônica. Meu objetivo foi e sempre será transmitir sensações boas, transmitir sorrisos, energias positivas e etc.

Agora vem a pergunta clichê: Aonde e como você vê o projeto Backlit daqui 10 anos?

Backlit: Daqui a 10 anos eu gostaria de ver o projeto com o nome reconhecido podendo levar sensações únicas em meus shows e em todos os lugares e poder realizar sonhos e até mesmo encantar pessoas com o meu som.

Por fim, você gostaria de deixar um recado especial a todos que te acompanham?

Backlit: Com certeza! Eu gostaria de agradecer a todos que me acompanham e quero agradecer de coração a todos que acreditam em mim. “Papai” ama vocês. Obrigado!

Comentários

Sobre Samantha Cristina

Samantha Cristina
Jornalista e redatora da equipe WiR em São Paulo. | music is our happiness