22 de setembro de 2019

[Entrevista] Jonas Blue, o responsável pela mais recente versão do hit “Fast Car”

O nome Jonas Blue pode ainda não ser tão conhecido, mas o produtor londrino está conquistando seu espaço na cena mundial. Seu estilo único traz um frescor diferenciado aos hits das paradas atuais. O atual single Fast Car, regravação do hit de Tracy Chapman dos anos 80, já ultrapassou a marca de 60 milhões de visualizações no YouTube e entrou no Top 40 (32ª posição) do Spotify no Brasil.

O single está nas paradas em 53 países, incluindo o 1º lugar no Reino Unido, Alemanha, Suécia, Austrália e Nova Zelândia. A versão de Jonas para “Fast Car” ficou em 1º lugar na parada viral do Spotify nos Estados Unidos.

Filho de um sueco com uma americana, Blue, de apenas 21 anos, resolveu regravar a faixa por influência de sua mãe, que amava a música, e convidou a conterrânea e estreante Dakota, com seus vocais exoticamente poderosos. O primeiro álbum de Blue já é aguardado mundialmente e promete se sair tão bem quanto o single de estreia. “Fast Car” está disponível em diversas Playlists. Siga e ouça no seu serviço de streaming preferido.

Confira a nossa entrevista exclusiva com Jonas Blue abaixo:

25

Você imaginou que sua versão de “Fast Car” fizesse tanto sucesso?

Eu nunca imaginei que “Fast Car” teria um impacto mundial, mas agradeço muito por isso ter acontecido. Eu tenho muita sorte por essa música ter alcançado esse sucesso, pois agora tenho uma grande plataforma para poder divulgar minhas músicas.

Pode nos dizer como e por quê você decidiu se tornar produtor?

Eu cresci em uma casa cheia de boas músicas, então eu estava sempre cercado e inspirado. Eu comecei a produzir quando tinha 12 anos, após ser música e DJ. Enquanto eu era DJ acabei descobrindo que na verdade gostaria de fazer as músicas que eu estava tocando, foi então que eu decidi me tornar uma produtor.

Tropical House esta recebendo muita atenção hoje em dia. Você acha que pode fazer sucesso assim como outros grandes nomes do gênero?

Eu não classifico meu gênero como “Tropical House”. Eu só quero fazer grandes músicas, o que também me possibilita de alcançar as rádios. Para mim é apenas fazer o certo e ser quem eu sou. Tudo que eu posso fazer é continuar produzindo músicas que eu considero boas e esperar que outras pessoas achem isso também.

A música eletrônica no Reino Unido é um pouco diferente que nos outros países. Tem o Techno, Bass, Grime, Garage e muitos gêneros underground. É mais difícil conseguir sucesso com músicas comerciais do que comparado aos Estados Unidos?

Na verdade não. Eu acho que você tem que fazer uma música boa e esperar que as outras pessoas achem isso também. O resto acontece naturalmente.

Sua próxima música será focada no Tropical House ou você irá experimentar algo diferente?

Eu prefiro manter isso em segredo até que vocês ouçam meu próximo single!

Quem são / foram suas influências dentro e fora da música eletrônica?

Calvin Harris, Michael Jackson, Max Martin e minha família.

Você esta alcançando o top #1 em diferentes países ao redor do mundo. Como você se sente sendo um artista global?

Para mim é como se um sonho se tornasse realidade. É tudo o que eu tenho trabalhado durante minha vida toda, por isso sou muito agradecido por estar nessa posição.

Sinta-se a vontade para dizer qualquer mensagem para seus fãs brasileiros.

Muito obrigado pelo grande apoio e carinho que vocês tem por minha música e por mim como artista. Espero poder ver todos vocês em breve. Muito amor.

22

When you released the track “Fast Car”, have you imagined it would get such success?

I never expected Fast Car would have this much impact around the world but I’m very grateful that it happened. I am very lucky the song has been a huge success as it has now given me a great platform to express my music.

Can you tell us how and why you decided to become a producer?

I grew up in a home full of great music so I was constantly surrounded and inspired. I became a producer around the age of 12 after being a musician and a DJ. I found that when I was dj’ing I wanted to actually make the records I was playing so that’s when I decided to become a producer.

Tropical House is getting such attention nowadays. Do you think you can make success like another icons in this genre?

I don’t class my genre of music as “Tropical House”. For me I just try to make great melodic club music, which also has the ability to cross over to radio. But for me it’s about taking it all the way and being an artist in my own right. All I can do is keep making music that I feel is great and hope that other people will feel that too.

The electronic music in the UK is a little bit different than other countries. It has techno, UK Bass, Grime, UK Garage and a lot of underground genres. Is it harder to get attention with commercial sounds in the UK than in the United States, for example?

Not really I just feel you have to make great music and hopefully other people will feel it too. The rest will work itself out.

Your future records will be focused on Tropical House or you will try something different?

I’d rather keep that a surprise until you hear the next single!

Who are/were your influences in and out of electronic music?

Calvin Harris, Michael Jackson, Max Martin & My Family.

You are reaching top #1 in different countries around the world. How do you feel about being a global artist?

For me it’s a dream come true. It’s everything I have worked for all my life so I am very grateful to now be in this position.

Feel free to say anything you want to your Brazilians fans.

Thank you so much for your amazing love & support on my music and supporting me as an artist. I look forward to seeing you all soon. Much love x

Sobre Yohan Augusto

Yohan Augusto
☁️ Behind everyone's favorite song, there is an untold story.