22 de agosto de 2019

Hot Since 82 lança o tão aguardado álbum “8-track” e nos conta detalhes sobre

Daley Padley aka Hot Since 82, é o britânico que faz jus do nome até em português. Com produções únicas e marcantes, nos últimos tempos, o DJ e produtor se tornou uma das peças fundamentais para grandes line ups e festas. Com sets impecáveis e uma vibe envolvemente, Hot Since 82 é um dos grandes nomes atuais do cenário eletrônico.

Sua conexão com o nosso país não qualquer uma. Durante o Carnaval, Hot Since 82 fez sua estréia no AME club em Valinhos com um set memorável, assim como um show gratuito no Mirante 9 de Julho em São Paulo, onde foi disponibilizado depois o set completo no YouTube. Além disso, Daley fez um documentário no Brasil, onde viajou até a Amazônia e imergiu de fato em nossa cultura.

Hoje (26), Hot Since 82 acaba de lançar o seu tão aguardado novo álbum “8-track“, onde trabalhou durante dois anos no mesmo, no meio de toda agenda frenética de shows. O álbum apresenta a amplitude impressionante de seu trabalho, que é resultado profundo de suas inspirações pessoais que refletiram sob um momento desafiador em sua vida.

Aproveitando o lançamento, sua recente apresentação no Cercle e passagem marcante pelo Brasil, conversamos exclusivamente com o Hot Since 82 e você pode conferir na íntegra a seguir:

Você estava trabalhando em seu novo álbum há mais de 2 anos. Agora que finalmente foi lançado, poderia nos dizer o maior conceito por trás e também o processo de criação?

O 8-track é um conceito único, pois é uma tela em branco em termos reais de onde, como artista, você pode usufruir. É muito mais que a liberdade de um EP ou single, sem as “pressões”de um álbum. Eu perdi um amigo meu há alguns anos e este processo de escrita foi muito influenciado por ele e pelo processo de luto, tem sido uma terapia para mim de várias maneiras.

E se você pudesse descrever seu álbum em três palavras, qual seria e por quê? Você tem uma faixa favorita que realmente mexe “mais fundo” com seus sentimentos?

Emocional, terapêutico, gratificante. Como este projeto foi puramente sobre um momento específico da minha vida.
Eu diria que minha faixa favorita foi Therapy – ela destaca o que o álbum foi para mim, é sobre como superar o que você está sentindo em sua vida. Eu realmente amo essa faixa.

Podemos dizer que você realmente gosta de trabalhar com Jem Cooke e especialmente Alex Mills porque você fez duas faixas com os dois artistas no novo álbum e trabalhou com Alex por um longo tempo. Como vocês se conheceram e como foi trabalhar com eles?

Eu os conheço há anos, eles escrevem e executam estilos muito diferentes uns para os outros, mas eu me conecto com os dois da mesma maneira, sempre na mesma página e ouvindo totalmente a música, é muito fácil quando é assim.

E o que mais te inspira quando você está produzindo? O que mudou em suas produções desde o começo até a última?

Eu me inspiro em experiências e coisas que acontecem ao meu redor! Claro, este álbum resultou de uma experiência pessoal muito específica, então eu o abordei com mais cuidado e demorei um pouco mais. Mas, na base de tudo que produzo é emoção.

Você poderia definir sua experiência sobre tocar para o Cercle em um local onde foi gravado Game Of Thrones?

Eu adoro programas de fantasia como esse, pois eles ajudam você a escapar da loucura, então começar a tocar no set de GoT foi bastante surpreendente. Na verdade, estávamos querendo que isso acontecesse por um tempo, mas estávamos esperando a oportunidade certa para aparecer e aconteceu! E foi lendário!

Durante o carnaval você tocou pela primeira vez no Ame Club e também tocou de graça no Mirante 9 de Julho em São Paulo, o que foi incrível. Como foi para você?

Havia uma sensação especial de energia durante o Carnaval que elevou a experiência para mim. E o evento gratuito em São Paulo foi incrível. Uma das experiências mais incríveis como DJ. A platéia no Mirante teve um ótimo burburinho. Foi uma ótima maneira de terminar, em um local único e um show único. Eu sempre gosto de tentar fazer algo especial, livre, espontâneo, sempre que possível. Esta foi a primeira vez que um DJ Internacional fez algo assim na cidade que me contaram, então foi legal. A chuva não me parou e nem na pista de dança!

Você também fez o documentário “Even Deeper Brazil”, que traz a você a imersão na cultura do nosso país. Você mudou sua opinião sobre algo no Brasil depois de conhecer e explorar coisas novas aqui? Como você realmente se sente sobre sua conexão com o nosso país agora? Algum plano para fazer uma turnê brasileira?

É sempre especial para mim vir aqui para a natureza e a comida! Eu amo países onde as pessoas passam muito tempo fora do que em seus telefones e mídias sociais.
Ir ao Brasil me ensinou muito sobre sua cultura e história e a diversidade dentro dela – é realmente lindo. Eu pude experimentar tantos aspectos dele, desde o Carnaval até a Amazônia, então minha conexão com ele parece muito forte! Eu certamente estarei de volta ao Brasil, certamente não sei exatamente quando ainda, mas muito em breve, espero.

E como está sua temporada de verão (europeu)? Você pode nos contar seus grandes planos ao longo deste ano?

Está muito bem! Eu tenho uma grande shows de verão chegando. Eu gosto de tocar o maior número possível de shows e também encontrar tempo para relaxar. Ter equilíbrio na minha vida é importante. Meu álbum também está sendo lançado esta semana, então estou animado para ver a reação dos meus fãs ao projeto inteiro.

Muito obrigado pela conversa. Foi um prazer! Esperamos vê-lo em breve.

Te amo Brasil, sempre vai estar no meu coração, até logo!

Sobre Amanda Nakao

Amanda Nakao
Viciada em criar pautas para DJs e ir a shows de música eletrônica.