24 de setembro de 2018
Foto: Kurt Vandeweerdt

Em entrevista, Deepend nos conta sobre seu novo lançamento e muito mais Could Be Love é o atual lançamento de Deepend em colaboração com Joe Killington

O DJ e produtor holandês Deepend é sinônimo de vibrações positivas, mantendo as pistas de dança cheias e os fãs de e-music entusiasmados. Antigamente formado por um duo, atualmente ele é liderado por Falco van den Aker. Nessa nova fase, o Deepend garante que suas criações se elevem acima do pool do dance music criando um som exclusivo.

Seus shows ao vivo não decepcionam seu público, nós brasileiros, podemos afirmar! O set do Deepend ano passado no AirRooftop contagiou todo o local e seu carisma hipnotiza multidões de Ushuaïa e Pacha em Ibiza, Tomorrowland e Sziget, ou a cada lugar do mundo por onde ele passa.

Conhecido por fazer vários bootlegs populares e lançamentos em rótulos como Ultra, Armada, Spinnin’ Records, é seguro dizer que Deepend é muito talentoso. Atualmente com projeto solo, o DJ e produtor seguiu uma série de sucessos desde festivais, produções e colaborações – incluindo “Runaways” com Sam Feldt. Além disso, seus remixes oficiais ganharam uma veracidade absurda e chamou a atenção de diversas pessoas!

Recentemente, Deepend retorna a gravadora Spinnin’ Records com o novo single “Could Be Love“. A faixa é uma colaboração em conjunto com o cantor e compositor britânico Joe Killington e é essencialmente uma música muito sentimental, reforçada pelo som edificante de Deepend. É um som diferente, inovador e vintage. Uma nova vibe de Deepend. E aproveitando o atual lançamento, batemos um papo exclusivo com o DJ e produtor holandês. Confira a seguir:

Seu recente lançamento é “Could Be Love“, com Joe Killington, que destaca a nova vibe em que você está trabalhando. Então, o que esta música significa para você?

A música realmente reflete o que Deepend representa. Minha música é muito adequada para streaming/rádio e costuma ser fácil de ouvir, mas também sou um DJ de performance onde toco músicas de alta energia. Could Be Love é perfeita para mim. É uma música que mostra os dois lados do Deepend. A música também marca o pontapé inicial da minha colaboração de longo prazo com a Spinnin’ Records.

Seus lançamentos deste ano trazem nomes de cidades como Bangkok e Roma. Viajar pelo mundo te deixa muito inspirado? Podemos esperar outra faixa com nome de cidade? Haha.

Haha, as cidades são na verdade uma coincidência, mas viajar definitivamente me inspira. Visitar outros países, conhecer novas pessoas e descobrir culturas me ajuda a descobrir novos rumos para minha música. É muito interessante ouvir a rádio no exterior para ver qual música funciona ou não funciona em um determinado país. Estar na estrada também me ajuda a sair do processo de produção e ouvir minha música de uma perspectiva diferente. Isso realmente ajuda a abrir minha mente para novas idéias.

E falando sobre suas músicas, você tem um remix do Pontifexx em “To Rome“. Você tem planos de trabalhar com algum artista brasileiro no futuro?

Eu não tenho nenhum plano confirmado no momento, mas estou definitivamente interessado em colaborações com artistas brasileiros. Eu realmente amo a vibe brasileira que está se tornando global agora e acho que meu estilo de produção se encaixa perfeitamente com o estilo brasileiro.

E falando sobre Brasil, podemos dizer que um dos shows mais especiais que tivemos no ano passado foi o seu set no AirRooftop aqui em São Paulo com Mat.Joe, Claptone e muitos outros artistas. Você tem planos de voltar este ano?

Essa foi uma experiência tão legal! Foi meu primeiro show no Brasil e eu adorei! Minha agência está trabalhando em alguns novos shows em solo brasileiro. Fiquem de olho nas minhas redes sociais para novos shows!

Este ano você tocou 2 vezes no Tomorrowland. Como foi essa experiência para você? Vimos que você levou seus pais e pudemos imaginar que isso foi muito especial!

Tocar no Tomorrowland foi muito especial para mim. É um dos festivais mais importantes do mundo e estou muito grato por ter tido a oportunidade de tocar lá duas vezes este ano. Embora o Tomorrowland tenha sede na Bélgica, você está realmente tocando para o mundo todo. Pessoas de todo o mundo vieram para os meus shows, o que cria uma vibe tão única. Ser capaz de compartilhar essa experiência com meus pais foi muito especial para mim. Eles sempre acreditaram em mim e me apoiaram desde o primeiro dia.

E quais são seus planos para o resto do ano?

Eu recentemente me tornei pai de um bebezinho (Mace). Depois de passar algumas semanas em casa com minha família, estou pronto para voltar em turnê começando com um grande show da Arena com David Guetta na Alemanha. Estou viajando de volta a Ibiza no próximo mês para fechar minha temporada de verão e estou preparando uma semana movimentada no Amsterdam Dance Event. Eu também tenho alguns lançamentos bem legais para os próximos meses!

Sobre Amanda Nakao

Amanda Nakao
Viciada em criar pautas para DJs e ir a shows de música eletrônica.