16 de agosto de 2018

Em entrevista exclusiva, Tiago Rosa afirma: “Estou no caminho certo”

Com grande experiência em música eletrônica e um estilo de produção marcante, Tiago Rosa, natural de Itajaí, com apenas 25 anos anda chamando a atenção por onde passa. Com duas turnês em sua bagagem pelo Egito e Bolívia, Tiago também carrega grandes apresentações nos melhores clubes do Brasil, entre eles o grande Matahari Super Club sendo o 5º Melhor
Club do Brasil, no qual é residente.

Confira a seguir nossa entrevista exclusiva com o DJ e produtor que definitivamente está em ascensão Brasil a fora:

Primeiramente, parabéns pelo sucesso nas pistas e fora delas. Bom, “Black Diamond” é seu mais novo lançamento pela G-Mafia. Como foi o processo de criação?

Muito obrigado! Para mim é uma honra dar essa entrevista para um portal tão reconhecido no mundo da música. A Black Diamond vem de uma segunda colaboração com o Zecko e com a cantora Grace Grey que compôs junto conosco. Eu e Grace já avíamos querendo trabalhar juntos, até que o Zecko mandou um projeto inicial que super combinou com o vocal dela. Com isso, só foi preciso dar alguns toques finais para entregar a track da melhor forma á pista.

Mesmo jovem, você ganhou espaço em diversos clubes do Sul e em especial, o Matahari, club do qual se tornou residente. Como foi esse marco para você?

Ainda é difícil entender tudo o que vem acontecendo esse ano. Eu já fui residente do Elfortin Club, no qual obtive grandes experiências… Mas a visibilidade que o Matahari vem me proporcionando é surreal. Só tenho a agradecer ao Henrique e toda sua equipe por me dar essa oportunidade única.

Já que estamos falando em “marcos”, você se encontra em um dos melhores momentos de sua carreira, estreando no melhor club do mundo, o Green Valley. O que isso significou para você como pessoa e carreira?

Acredito que seja algo equiparado a um jogador de futebol ser contratado pelo Real Madrid (melhor time do mundo atualmente). Eu frequento o Green Valley desde os meus 18 anos, e consequentemente já vi várias lendas tocando naquele palco, e agora, poder fazer parte disso me mostra sem sombra de dúvidas que estou no caminho certo.

Ao longo do tempo, você participou de alguns projetos em colaboração com alguns DJ’s brasileiros e internacionais como: Gustavo Mota, Gallax, Ishimaru, Tamer Fouda e muitos outros. O que você acha que suas produções tem, que chamam a atenção desses artistas?

Quando me perguntam sobre produção musical, não posso deixar de agradecer ao meu antigo professor Cloud Ferrer, responsável por meu primeiro curso e lançamento da minha primeira track chamada “Dark Night”, hoje já fazem 4 anos e vejo o quanto mudou a qualidade nas produções, fazendo com que esse detalhe chamasse a atenção de cada um deles. Referente aos nomes citados, eles pra mim são referência dentro e fora do estúdio.

Notamos que suas produções contêm uma característica única sempre com inúmeras variações. O que não pode faltar em sua apresentação?

Eu ouço muito RAP. Me inspiro nesse estilo para me vestir, então um sample NIGGA é sempre bem vindo no meu estúdio e em minhas apresentações.

Acompanhamos suas tours pelo Egito e Bolívia ao longo do ano e percebemos a diferença entre cada um dos lugares. Você, em especial, o que achou de estar em cada um deles?

É uma diferença cultural incrível… Para descrever essa sensação eu teria que ir a fundo na história dos países. Mas aproveitando a deixa, recomendo a todos que tiverem a oportunidade de conhecer esses países, não deixarem essa chance passar. Para mim foi uma experiência impressionante. Vou aproveitar o espaço e anunciar de primeira mão ao portal, o meu retorno a um desses países em breve! (risos)

O que podemos esperar de Tiago Rosa nesse resto de 2018?

Muito trabalho… Pois sei o quão difícil é ser reconhecido atualmente e luto para manter tudo o que já conquistei e pretendo conquistar. Atualmente estou muito bem assessorado pela minha equipe que a cada dia, seja profissionalmente ou não, me dão ainda mais motivação para seguir esse sonho.

Por fim, deixe um recado para todos os seus fãs e amantes do seu som, e que te ajudaram nessa conquista.

Gostaria de agradecer primeiramente a minha família que sempre me apoiou, a minha equipe e aos meus amigos que sempre estão dispostos a me ajudar na logística e na correria do dia a dia. Não posso deixar de mencionar principalmente as pessoas que me acompanham… Se não fosse por eles, eu não teria chegado onde estou. Sou imensamente grato por cada mensagem e por cada momento que e dizer a eles o quanto eu sou grato por cada mensagem e por cada momento que eles me proporcionam. OBRIGADO!

Sobre Samantha Cristina

Samantha Cristina
Jornalista e redatora da equipe WiR em São Paulo. | music is our happiness