Data:21 de novembro de 2019

Prestes a voltar ao Brasil, entrevistamos ARTBAT

Para quem ainda não os conhecia, sem dúvidas ficou conhecendo e babando pela estréia maravilhosa que eles fizeram com a vinda do Cercle no Brasil em Março deste ano no Bondinho do Pão de Açúcar (RJ). Desde então, podemos dizer que o duo ucraniano está vivendo sua melhor fase musical e tendo a evidência que merece.

Formado por Artur e Batish – tá aí a explicação do nome do projeto – com origem em Kiev, ARTBAT é uma das grandes sensações do momento do Techno Melódico e Techno e vêm evidenciando cada vez mais suas produções únicas e diferenciadas. Sendo fácil de reconhecer e dizer: “Aquela música ali, é do ARTBAT!“.

ARTBAT @ XXXPERIENCE 2019

Em menos de 1 ano, sua visibilidade aqui em solo brasileiro mudou de uma forma gigantesca comparando sua apresentação no ano passado durante a Tribe até mesmo a sua mais recente no XXXPerience. O duo que antes se apresentava pela primeira vez no Brasil na América do Sul, agora é um dos artista que mais recebem requests em eventos underground.

Agora na primeira semana de Novembro, o duo está de volta ao Brasil para duas apresentações exclusivas: 01 de Novembro no Warung Beach Club e 02 de Novembro no aniversário de 1 ano do AME Club. Aproveitando essa passagem recente e volta de ARTBAT no Brasil, batemos um papo exclusivo com Artur e Batish, confira a seguir:

Primeiramente, é um prazer finalmente falar com vocês! Se vocês pudessem descrever esse ano em três palavras, quais seriam?

Obrigado por nos receber! Estamos felizes por termos encontrado tempo para sentar. É difícil descrever este ano em apenas três palavras, mas vamos tentar: alucinante, revolucionário e único.

Vocês tocaram durante o ADE há algumas semanas. Inclusive, nós transmitimos o set de vocês no EXIT e foi incrível! Como foi para vocês?

A ADE é sempre especial e Amsterdã tem essa vibração incrível. A festa EXIT foi surpreendente e por uma causa muito boa. O local foi de tirar o fôlego – tocar em cima de um guindaste é apenas uau. Adoramos participar deste projeto. Além desse show, fizemos mais dois shows emocionantes. Nosso amigo Joris Voorn nos convidou para tocar no seu evento Awakenings durante o dia e tocar no famoso Gashouder foi um sonho tornado realidade. Já à noite, tocamos no Watergate x Pleinvrees – que foi o final perfeito para uma ADE de sucesso.

Cada faixa que vocês criaram é um enorme sucesso e tem uma maneira única de produção. Afinal, podemos reconhecer claramente suas produções entre os demais. Há um toque especial em tudo que vocês fazem. Então, como vocês definem sua música?

Você que diz! Obrigado pelas amáveis palavras e estamos felizes em ser reconhecidos por nosso som. Isso nos deixa orgulhosos, é claro. E para ser sincero, iniciamos este projeto com o objetivo de fazer músicas que as pessoas amam e apreciam. Ver rostos felizes na pista de dança nos inspira e nos dá a melhor motivação possível. Infelizmente, não podemos contar nossos segredos – caso contrário, não nos destacaríamos mais haha.

Sabemos que viajar inspira muito suas produções, mas há algo em particular que é muito importante quando vocês estão produzindo?

Só precisamos descansar e estar com o melhor humor possível. A inspiração vem de todos os lugares – viagens, multidões diferentes, amigos e familiares.

E vocês podem citar três faixas que foram influentes no seu desenvolvimento musical?

Mandrake foi uma das nossas primeiras faixas que recebeu atenção imediata de grandes produtores como Richie Hawtin e Maceo Plex. Depois dessa faixa, percebemos que esse poderia ser o começo de algo grande. Depois disso, passamos mais tempo juntos no estúdio.

Upperground foi nosso primeiro disco número 1 no Beatport e uma espécie de música inovadora para nós. Em geral, “Planeta EP” no Diynamic foi um grande sucesso. Definiu nosso som e gostos muito. Estamos muito gratos que Solomun nos deu essa oportunidade.

E, é claro, nosso remix para “Return To Oz“, de Monolink, teve um grande papel em nossa carreira.

Sua colaboração com WhoMadeWho é considerada como uma das tracks do ano. O que isso representa para vocês? E como foi trabalhar com eles?

Nós realmente agradecemos! Somos muito gratos. Primeiro e mais importante é que o WhoMadeWho são nossos queridos amigos, o que facilitou muito o trabalho com eles. Houve um fluxo desde o primeiro momento. Basicamente, não pode dar errado com o WMW. Realmente caras super fodas e, claro, todos nós, como um coletivo, estamos muito orgulhosos da colaboração.

Seu lançamento mais recente é Aquarius. Então, queremos saber como foi o processo de criação e por que o nome Aquarius?

O habitual haha – Aquário foi feito na perfeição. Uma das nossas faixas favoritas – uma música muito próxima de nós. Nós dois nascemos no mês de ‘Aquário’.

E vocês possuem alguma colaboração em andamento este ano? Vocês podem nos dar alguns spoilers para da próxima?

Nosso próximo lançamento será um remix do famoso hit hit de Sono, “Keep Control“. Provavelmente no início de dezembro. Bem, podemos dizer que há muitas músicas legais chegando. A colaboração com nossos amigos Camelphat já foi tocada pelo Tale Of Us.
E isso é o que podemos dizer por agora. Fiquem ligados!

Podemos dizer que um dos seus destaques da carreira de vocês foi definitivamente o Cercle no Brasil, no Bondinho do Pão de Açúcar. Afinal, foi a primeira vez em um local além da Europa e todos adoraram. Como foi essa experiência para vocês dois?

EXCELENTE! Uau, que local, que evento, que vibração. Um dos melhores shows já realizados, se não o melhor. Foi um sonho tornado realidade para nós. O Cercle oferece a muitos grandes talentos uma plataforma fantástica para mostrar suas músicas. E se você pode fazer isso sobre as nuvens, no topo do Pão de Açúcar, enquanto o sol se põe e com a estátua do Cristo nas costas – isso é um pacote completo.

Depois do Cercle, vocês estão numa fase muito boa com o público brasileiro. Temos uma conexão “especial” com a sua música. Vocês têm algo em mente sobre fazer uma faixa inspirada no Brasil ou algo do tipo?

Isso é uma boa ideia, na verdade. Nós mantemos isso em mente. Vamos ver como ficaremos inspirados após a nossa próxima turnê. Mas sim, o público no Brasil é muito legal e tem o fator X.

Vocês tocaram aqui no mês passado em dois festivais brasileiros e agora estão voltando para Warung Beach Club e também para o aniversário de um ano do AME Club. O que podemos esperar para esses shows? Inclusive, para finalizar, o que vocês planejaram para o resto do ano?

Estamos muito empolgados e ouvimos muito sobre os dois locais. Supostamente dois dos melhores clubes do mundo. Absolutamente sensacionalistas sobre essa tour. Vocês podem esperar algumas músicas novas e, claro, algumas de nossas faixas conhecidas. Vai ser divertido. Certamente dois para os clubes.

O resto do ano será tão ocupado quanto nos últimos meses. A programação das turnês está cheia de shows que estamos ansiosos para tocar no EDC em Orlando ou NYE no Cityfox/Brooklyn Mirage em Nova York. Além disso, tentamos gastar o máximo de tempo possível no estúdio para produzir novas músicas.

Muito obrigada pela conversa. Mal podemos esperar para ver vocês aqui! Deixem uma mensagem para seus fãs brasileiros.

Obrigado e obrigado por se conversar conosco. Você pode dizer a todos no Brasil que estamos super animados e mal podemos esperar para dançar com vocês.

Não perca a turnê exclusiva do ARTBAT:
01/11 Warung Beach Club – Itajaí/SC: ingressos.
02/11 AME Club – Valinhos/SP: ingressos.

https://www.facebook.com/artbatmusic/
https://soundcloud.com/artbatmusic
https://www.instagram.com/artbatmusic

Amanda Nakao

Viciada em criar pautas para DJs e ir a shows de música eletrônica.