Review: Lollapalooza Brasil retorna em edição histórica com grandes shows

Durante os dias 25, 26 e 27 de março, aconteceu em São Paulo, no autódromo de Interlagos, o retorno do Lollapalooza Brasil. O Lollapalooza 2022, que aconteceu após duas edições canceladas por conta da pandemia, teve grandes shows, reencontros e homenagens. A euforia do público e a saudade que todos estavam do festival, fizeram desta edição uma edição histórica.

Mas também por uma despedida, dois dias antes do show do Foo Fighters que encerraria o domingo, o baterista Taylor Hawkins morreu na Colômbia. As homenagens ao músico marcaram o festival.

Miley Cyrus no Lollapalooza (Foto: Reprodução / Multishow)

Nos três dias de evento, aproximadamente 302 mil pessoas passaram pelo autódromo. Foram mais de 60 atrações e 68 horas de música nos três dias, reunindo diversos artistas desde o cenário eletrônico, pop, indie, nacional e rock.

Nesta edição o line-up contou com grandes artistas como The Strokes, Alan Walker, Miley Cyrus, ALOK, Martin Garrix, Alesso e muitos outros. Com o cancelamento do show do Foo Fighters, a organização adicionou Emicida + Planet Hemp e convidados.

Para os fãs de música eletrônica, embora a mudança de line-up tenha deixado a desejar com diversas atrações derrubadas. As 24 atrações nacionais e internacionais presentes, proporcionaram grandes apresentações e conquistaram o calor do público.

Ressaltando a importância para nossos DJs e produtores nacionais se apresentarem em um dos maiores festivais de música do Brasil sendo uma grande oportunidade para eles em suas carreiras.

Imprevistos

O Lollapalooza Brasil em 2019 foi interrompido por chuva e raios. Nesse ano aconteceu sexta e domingo. Infelizmente alguns artistas tiveram seus shows paralisados ou até mesmo cancelados devido ao cronograma de horários.

VINNE, que estava fazendo sua estreia no festival com o “pé direito” em um set de levantar qualquer público, precisou parar aos 17 minutos de apresentação na sexta-feira (25). O mesmo ocorreu com o DJ e produtor Malifoo que foi interrompido e o duo Evokings que não chegaram a subir no palco no domingo (27).

vinne

VINNE no Lollapalooza (Foto por: Thiago Almeida / Reprodução: Imprensa)

As apresentações de sexta (25), no palco Perry’s ficaram por conta de JetLag, Vinne, Beowúlf, Meca e Barja que movimentaram o primeiro dia com muito som de qualidade. Somado aos headliners da noite como o DJ e produtor musical britânico, Chris Lake com o melhor do Tech House e o DJ e produtor musical anglo-norueguês Alan Walker, tocando seus mais diversos hits em um set energético e emocionante.

Alan Walker

Alan Walker no Lollapalooza (Foto por: Thiago Almeida / Reprodução / Imprensa)

No sábado (26), as expectativas eram altas com o DJ e produtor ALOK encerrando o palco Perry’s. Que mesmo batendo horário com a Miley Cyrus conseguiu superlotar o palco eletrônico com muitos fãs. Além disso, o brasileiro bateu o recorde de maior quantidade de máquinas a laser usadas em um único show no Brasil.

ALOK

ALOK no Lollapalooza (Foto por: Thiago Almeida / Reprodução / Imprensa)

Ao longo do dia, Deorro, Boombox Cartel, Chemical Surf, DJ Marky, Victor Lou, Ashibah e Fatnotronic elevaram a energia do público com seus sons.

chemical surf

Chemical Surf no Lollapalooza (Foto por: Thiago Almeida / Reprodução / Imprensa)

No último dia, domingo (27), as atrações foram Kaytranada, Goldfish, Cat Dealers, Fancy Inc, Malifoo e Fractall x Rocksted, que comandaram o encerramento do palco eletrônico.

Os destaques da noite ficaram para a brilhante apresentação do DJ e produtor musical holandês Martin Garrix no Palco Onix. Sendo um dos melhores shows desta edição. Em um set repleto de novas músicas, nova sonoridade e músicas nostálgicas, o público presenciou com maestria um belo show regado a fogos de artifício e muitos lasers.

Martin Garrix

Martin Garrix no Lollapalooza (Foto por: Camila Cara / Reprodução / Imprensa)

O encerramento ficou por conta do DJ e produtor sueco Alesso, que recebeu milhares de pessoas após o show de Gloria Groove. Um dos show mais marcantes e emocionantes do eletrônico no Lolla, o público pode presenciar desde músicas novas e até mesmo um de seus maiores sucessos no encerramento com a música, “If I Lose Myself” com One Republic.

Alesso

Alesso no Lollapalooza (Foto por: Thiago Almeida / Reprodução / Imprensa)

Um dos pontos negativos foi o Lolla colocar os shows de pop e de funk entre os DJs no palco Perry’s. O palco tem um conceito diferente dos outros, sendo mais baixo e sem telão filmando os músicos. Consequentemente as pessoas que ficaram mais ao fundo da área, acabaram tendo sua experiência afetada sem enxergar os artistas. No entanto, optar por essas atrações em outros palcos como Adidas e Onix seria uma opção melhor.

Portanto, havendo a possibilidade também de adicionar atrações nacionais do eletrônico que poderiam preencher essas apresentações.

Ativações e Espaços

Foram três dias de muita música e diferentes atividades espalhadas pelos 600 mil m2 do Autódromo de Interlagos para os fãs curtirem. Algumas das parcerias responsáveis por criar conteúdo e atividades por meio de suas ativações, foram a Budweiser, adidas, Chevrolet, Samsung, Sadia, Coca-Cola, Doritos, Instagram e Mc Donald ‘s. Nelas havia possibilidade de tirar fotos, ganhar brindes e até mesmo alguns DJs fazendo apresentações para os mais variados gêneros musicais

Um dos espaços mais concorridos ficou por conta da Vivo, que apresentou o Lolla Lounge by Vivo. O setor tem grandes presenças de digitais influencers, famosos e diversas celebridades. Com visão privilegiada do festival e after partys. O Lolla Comfort, espaço que trouxe conforto extra ao festival, também foi outro local de destaque.

O Chef Stage transportou os principais restaurantes e bares de São Paulo para dentro do festival, com opções veganas, lanches práticos e refeições. Além disso, havia ambulantes espalhados pelo festival.

A sustentabilidade é um dos focos desta edição, com a ajuda de 10 ONGs, desempenhando o papel de conscientização socioambiental por meio de informações de causa e preocupação. Com a parceria da empresa Braskem, que trouxe a Iniciativa Rock and Recycle para receber reciclagem. O público pode descartar plástico nos pontos e trocar por brindes ou até mesmo ingressos.

Vestuários e acessórios

No Lolla Market, você encontrava vestuários e acessórios do festival para comprar. Chamada de Lollabr, a collab exclusiva entre adidas x Lollapalooza, contou com três camisetas ilustradas com a temática do festival, além do tênis Superstar Lollapalooza Brasil. As camisetas custam R$149,99 cada, enquanto o valor do tênis é R$699,99. Os interessados podem acessar www.adidas.com.br/lollabr para saber mais e comprar os itens disponíveis.

Outra marca também foi Chilli Beans que firmou parceria com o Lollapalooza Brasil e vendeu uma coleção exclusiva de óculos de sol licenciados para o festival. A coleção de óculos Lollapalooza Brasil 2022 inclui mais de 40 modelos. Acesse https://loja.chillibeans.com.br/lollapalooza? e confira.

Edição histórica

O Lolla do reencontro, mesmo com imprevistos por conta das condições climáticas, foi certamente uma edição histórica com muitos encontros inesperados, celebrações e a experiência única que só o Lollapalooza Brasil nos proporciona. Agradecemos ao Lollapalooza por essa nostalgia com o retorno de um dos maiores festivais do Brasil.

Até logo e nos vemos em 2023!

 

 

Meu nome é Renan Galati, tenho 23 anos e moro no interior de São Paulo na cidade de Ribeirão Preto, Estudante de Jornalismo e um apaixonado por música eletrônica.